Teste de Postagem 5
24 de fevereiro de 2020

RESSONÂNCIA MAGNÉTICA: SERÁ QUE PRECISO TER MEDO?

Dúvidas, medo e insegurança são reações muito comuns em diversos pacientes quando surge a necessidade de realização de exames clínicos, laboratoriais ou procedimentos médicos de rotina. Dentre os exames que oferecemos aqui na Alus, a Ressonância Magnética é o campeão de questionamentos. A realização desse exame vive cercada de mitos relacionados a episódios de ansiedade em lugares isolados, ou mesmo de crises de claustrofobia.

Acreditamos que grande parte dessas dúvidas se devem a necessidade de permanecer em um ambiente estreito, submetido a ruídos que o equipamento emite para adquirir as imagens, aliado à ansiedade natural que acompanha alguns pacientes neste tipo de exame. Pensando nessa preocupação de nossos pacientes, nós aqui da Alus Medicina Diagnostica, pedimos aos nossos Doutores e Doutoras para responderem as principais dúvidas de nossos pacientes, além de dar algumas dicas valiosas para tornar sua experiência o mais agradável possível!


1. Qual a melhor fonte de informação para entender melhor sobre meu exame?

Seu médico! Ele é o profissional mais indicado para explicar qual a real necessidade de realização do exame. É através do pedido médico que podemos entender quais as suspeitas clínicas do seu caso e assim auxiliá-lo na sua atividade diagnóstica. Além disso, acreditamos que o atendimento humanizado é essencial. Portanto, nossa equipe (Médicos Radiologistas, Enfermeiros, Técnicos e recepcionistas) estará sempre a disposição para esclarecer como será o procedimento e toda a segurança oferecida pelo equipamento. Isto pode reduzir a ansiedade e o temor, permitindo que o exame seja realizado tranquilamente.


2. Ficarei sozinho durante o exame?

Nossos pacientes nunca ficam sozinhos! Além de nossas recepcionistas e auxiliares, o exame será acompanhado de perto por um de nossos profissionais habilitados durante todo o procedimento. Caso seja necessário para o bem-estar de nossos pacientes, podemos liberar a entrada de um acompanhante que pode permanecer dentro da sala da ressonância do inicio até o final do exame.


3. Quanto tempo dura o exame?

Muitos de nossos pacientes tem a falsa impressão de que os exames são sempre muito demorados. Embora existam alguns exames um pouco mais longos (por volta de 1 hora de duração), a maioria dos procedimentos costumam durar aproximadamente 15 minutos, como é o caso para pacientes com lesões nos joelhos, pés, entre outros.


4. Em muitos exames, não é necessário ficar com a cabeça dentro do aparelho

Exames para verificar lesões nos pés, tornozelos, joelhos e determinados tipos de sequências para pelve e coluna, podem ser realizados com a cabeça para fora do tubo.


5. Quais são as principais contraindicações?

Como a ressonância produz um potente campo magnético, é preciso se certificar que nenhum objeto metálico esteja por perto durante o procedimento, desde grampos de cabelos até pulseiras, anéis e brincos. Portadores de marcapassos, cateteres e outros dispositivos implantáveis devem informar aos integrantes de nossa equipe para que possamos avaliar o caso e entender se não existe nenhuma restrição a realização do exame.


6. Sobre a utilização de contraste e exames com sedação

O contraste é uma substância utilizada para demonstrar a vascularização das estruturas, sendo algumas vezes necessárias para a pesquisa e avaliação de possíveis lesões. Sua utilização varia de caso a caso. Em geral a maioria dos exames de crânio, pescoço, tórax, abdome e pelve é necessário o uso do contraste. No entanto, para a maioria dos exames de ressonância magnética como coluna, joelho, tornozelo, quadril, ombro, mãos e pés geralmente não se faz necessário o uso do contraste. Com relação à sedação, é um procedimento mais complexo, sendo necessário a presença de um médico anestesista durante a realização do exame, geralmente indicada apenas para casos muito específicos. Este tipo de procedimento, costuma ser realizados em pacientes com claustrofobia extrema ou em bebês e crianças.